Theatro Municipal recebe a Ópera Latinoamérica e outras personalidades do setor para debater a ópera no Brasil

De Instituto Odeon em 14 de novembro de 2019


Aberto ao público, o evento ‘Ópera em Pauta’ acontece no dia 25 de novembro e vai abordar temas como o impacto econômico e social, diversidade, inclusão e desenvolvimento de público na ópera, e ainda será palco para o anúncio oficial da primeira Assembleia Geral da OLA (Ópera Latinoamérica) a ser realizada no Brasil, em 2021

O Theatro Municipal de São Paulo, em conjunto com o Teatro Amazonas, Theatro da Paz de Belém e a Cia. de Ópera São Paulo, todos membros da Ópera Latinoamérica (OLA) no Brasil, organizam um encontro inédito para discutir os desafios da produção de ópera no país, quais os caminhos para atrair e formar novas plateias e as possibilidades de ampliação desse gênero artístico. Os impactos econômicos e sociais também serão abordados no evento ‘Ópera em Pauta’, que acontece no dia 25 de novembro, no Salão Nobre do Theatro Municipal de São Paulo, e vai reunir importantes representantes do setor.

A cidade de Manaus, onde acontece anualmente o Festival Amazonas de Ópera (FAO), foi eleita como sede da Assembleia Geral da Ópera Latinoamérica (OLA), em 2021. Será a primeira vez em que o país receberá o evento, um dos resultados concretos da assinatura do acordo de colaboração entre o Brasil e a OLA em maio deste ano.

O encontro visa a definição de estratégias conjuntas e o traçado de uma programação inicial, assim como a agenda paralela da edição 2021 da Assembleia Geral da OLA, que será realizada em Manaus, onde acontece o Festival Amazonas de Ópera.

Para participar deste encontro gratuito, basta preencher este formulário: http://bit.ly/encontrodaola . O número de vagas é limitado.

Para celebrar e iniciar as ações de organização da assembleia, que acontece a cada ano em um país diferente, a Diretora Executiva da OLA, Alejandra Martí, virá ao Brasil para o encontro do próximo dia 25. Também participam Flavia Furtado, Diretora Executiva do Festival Amazonas de Ópera; Daniel Araújo, Diretor do Theatro da Paz de Belém; Paulo Esper, Diretor da Cia. de Ópera São Paulo; e Hugo Possolo, Diretor Artístico do Theatro Municipal de São Paulo. Entre os representantes da administração pública está o Secretário Estadual de Cultura do Amazonas, Marcos Apolo Muniz de Araújo, e o Secretário-Adjunto de Estado de Cultura do Pará, Bruno Chagas.

O evento será dividido em dois momentos: na parte da manhã, às 11h, será feito o lançamento oficial da Assembleia da OLA Manaus 2021 e, à tarde, será realizado um painel expositivo com temáticas relevantes para a produção de ópera no Brasil na Sala do Conservatório, na Praça das Artes.

Todos os teatros de ópera ativos no Brasil serão convidados a participar do encontro em São Paulo. Uma oportunidade para conhecerem melhor o trabalho da OLA e, aos interessados em associar-se como membro, de poder participar de forma mais ativa da Assembleia Geral 2021.

Festival Amazonas de Ópera – O Festival Amazonas de Ópera (FAO) foi criado em 1997. Mais de 370 mil pessoas já prestigiaram as apresentações em mais de 70 óperas executadas. O evento gera mais de 600 postos de empregos diretos e é realizado pelo Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, com o patrocínio máster do Bradesco.

Além da fomentação da geração de emprego, a Diretora Executiva do Festival Amazonas de Ópera, Flavia Furtado, ressalta a relevância do Festival no campo do turismo. Apenas na edição deste ano, 23% dos espectadores vieram de fora do Brasil, de países como Alemanha, Argentina, Áustria, Canadá e Chile, e 44% eram de outros Estados, como Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. “Sete novos hotéis foram abertos nos últimos 20 anos, sendo o último, cinco estrelas, há cinco anos. Cruzeiros internacionais desembarcam na temporada de óperas”, ressalta Furtado.

O incentivo é tão grande que o Festival passou a contar desde 2004 com uma própria Central Técnica de Produção (CTP), com um acervo de 45 mil peças, entre roupas, calçados, acessórios e adereços que são usados na cenografia e no figurino das produções. Ao todo são 127 profissionais que trabalham na Central Técnica, sendo mais de 90% de mão de obra local. “A maioria é amazonense. Além de Manaus, tem pessoas de Parintins e outros municípios do Amazonas. É tudo mão de obra qualificada do Estado”, afirma Furtado.

Números ibero-americanos da ópera
Com sede em Santiago, no Chile, a OLA conta atualmente com 35 membros de 12 países. Um levantamento da associação mostra que, em 2018, 77% de seus membros produziram suas próprias óperas. Foram agendadas 100 produções líricas, das quais 20% eram de títulos clássicos, o que mostra o compromisso dos teatros com novos públicos. O estudo também destaca que a região latino-americana possui 400 teatros com mais de 60.000 assentos, mantém 153 Orquestras Sinfônicas e Filarmônicas com temporadas regulares, reúne 178 conservatórios de música e realiza mais de 50 festivais anuais de ópera. A pesquisa ainda indica que 66% dos teatros ​​programam óperas anualmente, o que comprova as amplas possibilidades de cooperação existentes e que podem ser exploradas pelos teatros da região.

Agenda* Ópera em Pauta

25/11, segunda-feira
11h: Apresentação da OLA e da Assembleia Geral em Manaus edição 2021
Local: Theatro Municipal – Salão Nobre

Participantes:
Alejandra Martí – Diretora Executiva da OLA
Daniel Araújo – Diretor do Theatro da Paz
Flavia Furtado – Diretora Executiva do Festival Amazonas de Ópera
Hugo Possolo – Diretor Artístico do Theatro Municipal de São Paulo
Marcos Apolo Muniz de Araújo – Secretário Estadual de Cultura do Amazonas
Paulo Esper – Diretor da Cia. de Ópera
Bruno Chagas – Secretário-Adjunto de Estado de Cultura do Pará.

12h30: pausa

14h: Painel expositivo sobre os desafios de se produzir Ópera no Brasil
Local: Praça das Artes – Sala do Conservatório

Temas abordados:
O impacto econômico e social da Ópera por meio da experiência amazônica (Flavia Furtado – Diretora Executiva do Festival Amazonas de Ópera e Daniel Araújo – Diretor do Theatro da Paz)
Diversidade, Inclusão e Desenvolvimento de Público (Hugo Possolo – Diretor Artístico do Theatro Municipal de São Paulo)
Acervo e Memória (Carla Nieto Vidal – Pesquisadora)

16h: encerramento

*Programação sujeita a alteração.

Inscrições gratuitas pelo link http://bit.ly/encontrodaola

Ópera Latinoamérica (OLA)
É uma organização sem fins lucrativos que agrupa teatros de ópera latino-americanos cuja missão é difundir e promover a arte lírica na região. Criado em 2007 no Chile, é formado por instituições da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai, que se reúnem todos os anos em assembleias para discutir novas ênfases e objetivos. A presidente atual da OLA é María Victoria Alcaráz, Diretora do Teatro Colón de Buenos Aires, e seu diretório é formado pelo Teatro Solís de Montevidéu, Theatro Municipal de São Paulo, Ópera de Belas Artes do México, Teatro Mayor Julio Mario Santo Domingo e Teatro Real de Madrid. Para mais informações acesse operala.org .

Alejandra Martí
Atual Diretora Executiva da OLA, Alejandra Martí é Bacharel em Ciências Humanas, com habilitação em Comunicação Social na Universidade Adolfo Ibáñez, e Mestre em Administração de Empresas pela ESE, Business School. Com vários estágios em teatros na Europa e nos Estados Unidos graças a bolsas de estudos, e catorze anos de experiência em gestão cultural especializada em artes cênicas, Alejandra tem uma ampla carreira internacional. Trabalhou no Teatro Liceu Opera Barcelona, no Teatro Colón de Buenos Aires e em organizações como a Associação Latino-Americana de Teatro: Ópera Latinoamerica (OLA), onde desde 2017 é diretora executiva. Por onze anos atuou como diretora de desenvolvimento institucional no Teatro Municipal de Santiago e foi nomeada pelo Presidente da República do Chile como representante do mundo das artes no Conselho Nacional de Culturas, o Artes e Patrimônio.