Escritor baiano Hugo Canuto leva ao Museu de Arte do Rio as histórias das divindades africanas contadas em quadrinhos.

De Instituto Odeon em 22 de julho de 2019


Neste sábado, 27 de julho, o MAR recebe o lançamento do livro Contos dos Orixás. A publicação, que visa aumentar a representatividade das narrativas afro, reúne histórias que relatam os mitos do povo Yorubá, uma das civilizações mais tradicionais da África Ocidental, apresentados no estilo de quadrinhos. A narrativa é protagonizada pelo Rei Xangô e envolve outros orixás, como Exu, Ogum, Oxóssi, Oxum e Iansã.

O evento de lançamento contará com uma mesa redonda e sessão de autógrafos, além das vendas dos quadrinhos. Para participar, será necessário retirar senha com 1h de antecedência na recepção do museu.
Saiba mais em http://bit.ly/ContosDosOrixasNoMAR

Nota de pesar

De Instituto Odeon em


Nós, do Museu de Arte do Rio e do Instituto Odeon, lamentamos profundamente a morte precoce do escritor e produtor cultural Ecio Salles. Idealizador da Festa Literária das Periferias (Flup), Ecio foi um grande parceiro do MAR, tendo realizado diversas atividades e eventos em conjunto com o museu. Nos solidarizamos com seus familiares e amigos neste momento de dor.

MAR inaugura na próxima quarta-feira, 24, Projeto de Ocupação dos Pilotis

De Instituto Odeon em 19 de julho de 2019


Proposta arquitetônica e cromática do pavimento térreo do museu será apresentada ao público com show do cantor Gigante César, apresentação dos DJs do Prazer Som Sistema, atividades para o público infantil e intervenção de passinho com o grupo Poesia dos Pés.

Na quarta-feira, 24 de julho, o Museu de Arte do Rio, sob a gestão do Instituto Odeon, inaugura o Projeto de Ocupação dos Pilotis, uma proposta arquitetônica e cromática que visa a ressignificação do pavimento térreo do museu, construído há seis anos. Com apoio financeiro do BNDES, o POP MAR surge do entendimento deste espaço como área potencial de sensibilização, mobilização e atração de novos públicos, abrigando ações complementares não contempladas pelas exposições. 

“Muito mais do que mostruário de obras de arte e de coleções, os museus têm uma função de ativação social e cultural muito grande. O MAR, enquanto museu contemporâneo, não poderia deixar de olhar para esse espaço como uma plataforma potencial das suas próprias ações. A ideia é criar um espaço de convergência e de convivência, onde as pessoas possam se encontrar, usufruir e permanecer”, conta Eleonora Santa Rosa, diretora executiva do museu e idealizadora do projeto.

O projeto arquitetônico desenvolvido por Israel Nunes tomou forma a partir de escutas que o museu promoveu com jovens de 14 a 20 anos, de diversas regiões do Rio de Janeiro. “Dessas conversas emergiu a ideia de colorir os pilotis do museu e torná-lo um lugar mais acolhedor. Essa nova paleta de cores também servirá para sinalizar o fluxo interno do museu, como localização de banheiros, pavilhão de exposições, elevadores e bilheteria, dividindo os pilotis em quatro praças”, explica o arquiteto.

A Praça do Encontro, localizada ao lado guarda-volumes, e ponto de encontro entre o público das visitas mediadas e os educadores, ganhará novas cores. A Praça Viva o MAR, ao lado da bilheteria, receberá novo mobiliário. Próximo ao Café e à loja estará a Praça de Convivência, o público terá à disposição mesas que contam com pontos de energia e portas USB para carregamento de dispositivos eletrônicos.  Ao longo do muro-vidraça que separa o MAR da Praça Mauá estará o Deck Marítimo, uma peça de madeira com 29 metros de comprimento que funcionará como banco coletivo. Todo o espaço contará com serviço de WiFi gratuito.

A nova sinalização também irá identificar as obras já presentes nos pilotis, como a escultura “Maria Callas”, de Amilcar de Castro, o trabalho “A história do negro é uma felicidade guerreira”, de Jaime Lauriano, a maquete desenvolvida pelo Projeto Morrinho e a bandeira do artista Marcos Chaves no mastro do prédio. A ideia é que, além destes trabalhos, a cada mês uma peça diferente do acervo MAR esteja em exibição no local, fazendo um trabalho de provocação com o público. 

Outro objetivo do projeto é expandir para os arredores e delimitar o espaço do museu na Praça Mauá, deixando claro os seus locais de acesso, com intervenções na entrada da Avenida Venezuela, que anteriormente não tinha nenhuma sinalização, e a entrada da Avenida Rodrigues Alves, próximo à parada do VLT.

O POP MAR segue na esteira do bem-sucedido TransBorda, estrutura de metal em forma de arquibancadas, escorregas e trepa-trepas criada pelo Estúdio Chão, que ocupou os pilotis do museu de setembro de 2018 a julho de 2019. “Essas ações são, sobretudo, lúdicas, de gentileza urbana. Após o sucesso do TransBorda, o POP MAR traz um museu mais colorido, mais jovial, com beleza, leveza e agradável para todas as idades”, finaliza Eleonora Santa Rosa.

Inauguração terá atividades para o público infantil, DJs, show e Passinho

O evento de abertura, com início às 14h, contará com uma programação cultural que inclui atividades para o público infantil, DJs, show e intervenção de Passinho. A programação tem início com uma performance da Palhaça Amora, que utiliza o improviso para se aproximar do público infantil e faz uso de múltiplas brincadeiras para potencializar sorrisos e afetos, sempre acompanhada de suas bolhas de sabão gigantes. Às 16h30 e às 19h, os DJs do Prazer Som Sistema (Susana Guardado – Sugu, Cacá e Rita), projeto satélite da festa Prazer é Poder, se apresentam. O artista e cantor pernambucano Gigante César, comandante do coletivo e bloco carnavalesco Bunytos de Corpo, completa o time às 18h, trazendo o seu Sucesso Repentino, miscelânea de ritmos, que vão do tecnobrega ao samba de coco, encenações e coreografias. A programação cultural do POP MAR ainda receberá intervenção de passinho do grupo carioca Poesia dos Pés, marcada para às 17h.

PROGRAMAÇÃO:

15h – Performance Palhaça Amora
16h30 – Apresentação Prazer Som Sistema
17h – Intervenção de Passinho com o grupo Poesia dos Pés
18h – Show de Gigante César 
19h – Apresentação Prazer Som Sistema

MAR inaugura projeto “Conversas na Sala de Encontro” para debater arte e pensamento contemporâneo

De Instituto Odeon em 9 de julho de 2019


As mostras em cartaz, as obras expostas no museu e as questões ligadas à arte e ao pensamento contemporâneo são alguns dos temas que serão abordados no programa “Conversas na Sala de Encontro”, promovido pelo Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon. O novo projeto, que estreou no dia 4 de julho, será realizado todas as quintas-feiras até 26 de setembro e irá reunir pensadores, artistas e curadores no térreo do pavilhão de exposições do MAR para um debate com o público. Entre os participantes estão os pesquisadores Bruno Pimentel, Marcia Sá Cavalcante Schuback e Oscar Svanelid, e os artistas Floriano Romano e Katia Maciel. A entrada é gratuita e para participar basta retirar senha com 1h de antecedência.

Sob o tema “O fascismo da ambiguidade”, o debate inicial, realizado em 4 de julho, foi ministrado pela professora Marcia Sá Cavalcante Schuback, titular de filosofia da Universidade de Södertörn (Suécia). No mesmo dia, Oscar Svanelid, doutorando em História da Arte também da Universidade de Södertörn, analisou a obra do pintor e fotógrafo Brasileiro Geraldo de Barros (1923-1998), na roda “Geraldo de Barros e a questão da comunidade”. Na segunda semana, dia 11 de julho, o projeto curatorial da exposição “O Rio dos Navegantes”, em cartaz no museu, será discutido pelo Diretor Cultural do MAR, Evandro Salles, e pelas curadoras Fernanda Terra e Pollyana Quintella.

Em seguida, no dia 18 de julho, a obra do argentino Carybé (1911-1997) e suas referências, derivadas da cultura indígena e do candomblé, será colocada em pauta pelo curador do MAR, Marcelo Campos, na companhia do pesquisador Bruno Pimentel. Encerrando o mês de julho, os artistas Floriano Romano e Katia Maciel falam sobre seus trabalhos comissionados especialmente para a exposição O Rio dos Navegantes.

PROGRAMAÇÃO DE JULHO:

4 de julho

O fascismo da ambiguidade, com Marcia Sá Cavalcante Schuback  e
Geraldo de Barros e a questão da comunidade, com Oscar Svanelid  

11 de julho

O projeto curatorial da exposição O Rio dos Navegantes
Com Evandro Salles, Fernanda Terra e Pollyana Quintella 

18 de julho

Carybé: do candomblé às tradições indígenas
Com Marcelo Campos e Bruno Pimentel

25 de julho

Projetos especiais na exposição O Rio dos Navegantes
Com Floriano Romano e Katia Maciel  

Serviço:

Data: Quintas-feiras, de 4 de julho a 26 de setembro

Horário: 16h

Local: Sala de encontros – térreo do Pavilhão de Exposições

Endereço: Praça Mauá, 5 – Centro

Entrada gratuita

Conheça o Relatório de Gestão 2018 do Instituto Odeon, entidade gestora do MAR e do Theatro Municipal de São Paulo

De Instituto Odeon em 4 de julho de 2019


Essa publicação cumpre o compromisso do Instituto Odeon com a transparência e tem o objetivo de partilhar com a sociedade as nossas experiências e informações. É por acreditarmos que os encontros e o diálogo são transformadores, que nos ocupamos diuturnamente da compilação dos dados dos projetos que gerimos, da sistematização dos nossos processos e da publicização do que produzimos. Boa leitura!

Clique aqui para ler.

Theatro Municipal de São Paulo apoia o movimento LGBT

De Instituto Odeon em 2 de julho de 2019


Foto: Fabiana Stig

Quatro bandeiras foram colocadas nas laterais do prédio histórico.

Em celebração ao mês do orgulho LGBT, o Theatro Municipal de São Paulo colocou no sábado (22/6) 4 bandeiras LGBT nas laterais do prédio histórico em apoio ao movimento. Em mais de cem anos de história, esta é a primeira vez que a ação acontece.

As bandeira têm entre 6 e 12 metros de altura e vão ficar a vista do público até o fim deste mês. A iniciativa capitaneada e defendida pelo atual diretor artístico do Municipal, Hugo Possolo, é um marco na defesa da liberdade da orientação sexual e da identidade de gênero.

O movimento pelos direitos LGBT, que teve início no Estados Unidos em 1969 com a revolta de Stonewall, chegou ao Brasil por volta da década de 70. A primeira parada na cidade de São Paulo aconteceu em 1997. Neste domingo (23) aconteceu a edição da Parada do Orgulho LGBT 2019 que reuniu 3 milhões de pessoas, de acordo com organizadores

Concerto – Alessando Sangiorgi

De Instituto Odeon em


Agenda de Dança – Balé da Cidade de São Paulo no Festival Internacional de Dança de Viena

De Instituto Odeon em




Página 5 de 13